TEOLOGIA

Os três arquétipos de alguém perdido.

Estar perdido não é uma exclusividade.

Na origem grega, arquétipo significa o primeiro modelo. Romeu e Julieta é um arquétipo de amor impossível. A Madre Tereza simboliza alguém que tenha muita bondade. Corinthiano é o ícone de alguém que seja ladrão (claramente um estereótipo construído por ressentidos que não são bicampeões mundiais).

Neste texto irei abordar três tipos de arquétipos de alguém que se encontra perdido. De acordo com três parábolas, registradas em Lucas 15, contadas por Jesus.

1. Aquele que se perde por estupidez.

“Imaginem que um de vocês tenha cem ovelhas e perca uma delas. Será que não vai deixar as noventa e nove no pasto para ir atrás da que se perdeu? E, quando a encontrar, ficará feliz da vida e a levará nos ombros de volta para casa. Vai até chamar os amigos e vizinhos e dizer: ‘Vamos comemorar! Encontrei a ovelha que eu havia perdido!’. Acreditem, há mais alegria no céu pela vida resgatada de um pecador que por noventa e nove pessoas que acham que não precisam de salvação”.

Ovelhas são conhecidas por sua falta de inteligência. Não à toa existe aquela expressão: “fulano foi para tal lugar como uma ovelha vai para o matadouro”. O abate de bois é esperado com muito berro e esforços frenéticos para escapar, mas as ovelhas vão para sua morte quietamente, sem resistência.

Algumas pessoas têm a mesma capacidade — não parecem fazer algo deliberado ou intencional; simplesmente vagueiam e se afastam de Deus por pura ignorância e acaso.

2. Aquele que se perde por ter sido negligenciado.

Imaginem uma mulher que tenha dez moedas e perca uma delas. Será que ela não vai pegar uma lanterna e vasculhar a casa até encontrá-la? E, quando a encontrar, vai chamar os amigos e vizinhos e dizer: ‘Vamos comemorar! achei a moeda que eu havia perdido!’. Acreditem, cada vez que uma alma perdida se reencontra com Deus, os anjos também comemoram”.

Não foi culpa da moeda o fato de ter sido perdida. Alguém a perdeu. Você não pode culpar a moeda por isso. É assim que algumas pessoas se afastam de Deus. A falta de cuidado de um pai, o mau exemplo de um amigo respeitado, o conselho de algum líder famoso que foi seguido à risca.

Foi a falta de cuidado de alguém.

Aproveito este último exemplo para indicar um livro chamado Feridos em Nome de Deus. Uma narrativa inspirada por pessoas que conheci pessoalmente.

3. Aquele que se perde por rebelião.

Meu último arquétipo é baseado na mais conhecida parábola: a do filho pródigo.

Difícil entender as razões do porquê o filho mais novo teve o impulso de pedir sua parte na herança e vazar daquela família.

O que sabemos é que ele passou a agir de forma indisciplinada e esbanjadora. O famoso ostentador do rolê. Não demorou muito e ele desperdiçou tudo o que tinha. E seu caminho o levou a ter vontade de comer a lavagem dos porcos.

Isso o fez cair na realidade. Ele pensou: “pô, se eu ao menos voltar a trabalhar como empregado para o meu pai, já vou estar no lucro.”

Enfim, pai e filho se reencontram e ele é recebido com beijos, abraços e uma grande festa.

Note, a sua rebelião o levou a não se perceber mais como um filho dele. E o pai nem deu bola para isso.

Quando achamos que a história havia acabado por aí, eis que surge um segundo personagem, o filho mais velho. Ele demonstra um outro tipo de revolta. A inveja pautada na meritocracia.

Percebemos nessa narrativa é que ambos os filhos estavam perdidos. E suas revoltas estavam camufladas e foram manifestadas de formas diferentes.

Mas e agora, tem jeito de eu deixar de ser perdido?

Neste ano, ouvi um cantor chamado Jason Upton que havia lançado seu álbum chamado God Find Us (Deus nos encontra).

Deixarei a letra de sua música aqui como reflexão final.

Nós não encontramos Deus
Deus é quem nos encontra
Essa é a boa notícia

Essa é a boa notícia

Nós não encontramos Deus
Deus é quem nos encontra. Então, quem encontramos?
Bem, nós nos encontramos eventualmente, esperançosamente

E quando o fazemos, encontramos aquele que nos encontrou e nos amou muito antes
Nós poderíamos nos encontrar e nos amar
Pois somos moldados e formados pelas mãos de Deus
Somos firmados antes mesmo de podermos aguentar firmes
Somos amados muito antes de sabermos como amar

E como Jonas, mesmo quando fugimos de nossa vocação
Na maioria das vezes, acabamos dando de cara com Ele
.

God Find Us – Jason Upton.

Agora, para quem quer participar do primeiro sorteio, que será realizado no meu Instagram (@mateus_trindade) às 21h do dia 14/08/2020, clique aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: